2.12.15

Cuidados a ter com um bebé até 1 ano - Parceria Zaask

Imagem sem direitos com livre utilização (pixbay)

A Zaask é uma empresa de serviços que me contactou para elaborar um post para o meu blog, sobre um tema que pode ser muito útil a todos os pais de primeira viagem durante o primeiro ano do bebé. No início confesso-vos que fiquei bastante reticente, mas depois de ver alguns posts elaborados em parceria com outros blogs, achei que devia arriscar, sobretudo porque o tema também a mim interessa.
A Zaask "promete poupar tempo às nossas vidas bem agitadas" sempre que quisermos contratar um serviço, seja ele qual for. O conceito pareceu-me bastante interessante, se quiserem saber mais sobre a Zaask cliquem AQUI.
E depois do meu blá blá blá deixo-vos com o resultado final, espero que gostem e que vos seja útil.
O primeiro ano de um bebé é absolutamente fascinante. Em apenas 12 meses o recém-nascido deixa de o ser, aprendendo a sorrir, a dizer as primeiras palavras e a dar os primeiros passos, ao mesmo tempo que melhora a sua perceção de um mundo que inicialmente lhe é totalmente desconhecido e começa a interagir e a fortalecer laços com os que lhe são mais próximos.
A acompanhar este desenvolvimento estão os pais, que a partir do momento em que olham para o rosto de um filho e o ouvem chorar têm também pela frente uma nova realidade, que apesar de absolutamente maravilhosa traz também muitas preocupações, inseguranças e desafios, sobretudo quando se tratam de pais de “primeira viagem”.
E o pior é que não existe nenhum manual de instruções para bebés: apesar de toda a informação que podemos recolher dos livros, dos pediatras, dos conselhos dos amigos que já têm filhos, de babysitters e até dos nossos pais, cada bebé é diferente e a forma de lidar com eles exige de nós uma sabedoria que acaba por ser inata e que ninguém nos consegue ensinar.
De qualquer forma, é sempre reconfortante termos noção do que nos espera. Por isso, decidi focar aqui algumas questões que regra geral se levantam e às quais por vezes temos respostas tão díspares que em vez de nos ajudarem ainda nos baralham mais.

1. Esterilização de chuchas, biberons, brinquedos, etc.: sim ou não? E até que idade?
Até há bem pouco tempo a esterilização dos biberons era praticada na generalidade, mas agora há quem defenda que é desnecessária e que basta lavá-los imediatamente após a sua utilização (para evitar a criação de germes). De qualquer forma, o mais comum é continuar-se a esterilizar até por volta dos 4-6 meses, pela justificação de que o sistema imunitário dos bebés ainda não está plenamente desenvolvido e os objetos mal lavados podem gerar, entre outras, infeções intestinais. A partir daquela idade os bebés começam a colocar tudo na boca, pelo que acaba por não fazer sentido manter a prática. Pode-se, sim, fazer uma esterilização a cada 15 dias. Nesta perspetiva, além dos biberons, é igualmente aconselhável esterilizar os brinquedos de borracha durante os primeiros meses.
2. Qual a posição recomendada para o recém-nascido dormir?
Atualmente defende-se que o bebé deve dormir de barriga para cima, embora enquanto está acordado os pais o possam ir mudando de posição para que ele tenha diferentes perspetivas daquilo que o rodeia. A posição de bruços, com a barriga para baixo – que era a defendida há alguns anos atrás - hoje não é opção, pois acredita-se que esteja relacionada com o Síndrome de Morte Súbita, que acontece enquanto o bebé dorme, sem qualquer explicação. Também a posição de lado, que muitos médicos aconselhavam mesmo mais recentemente, também já não é a orientação mais recomendada pelas novas pesquisas científicas. Entretanto, quando o bebé aprende a virar-se, por volta dos 5/6 meses, ele irá escolher a posição que mais gosta e aí não devemos entrar em pânico se ele estiver de bruços ou de lado, embora possamos virá-lo se dermos conta disso.
3. O bebé deve dormir com almofada?
Não, o bebé não precisa de dormir com almofada. Expeto se tiver problemas de refluxo, altura em que deve dormir com a cabeceira do berço levantada (existem almofadas apropriadas para estes casos).
4. O bebé pode dormir sozinho desde o primeiro dia?
A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que o bebé durma no quarto dos pais até ao sexto mês de vida, pois para além de fomentar a amamentação – já que é mais fácil para a mãe alimentá-lo – também há indicação que pode reduzir a taxa de morte súbita. De qualquer forma, se não for incómodo para a mãe, o bebé pode dormir sozinho a partir do segundo mês de vida.
5. Como é que eu sei se o bebé está com cólicas ou com fome?
O choro é diferente e com o tempo a mãe aprende a fazer a distinção, assim como quando ele tem frio, dor ou apenas quer um mimo. No caso das cólicas, o choro é intenso e súbito, deixando o bebé muito agitado durante algum tempo. Se for fome, o bebé cala-se se lhe dermos de comer.
6. É verdade que a alimentação da mãe pode ter influência nas cólicas do bebé?
Este tema não é linear e nem gera consenso, pois não existem estudos científicos que provem se existe ou não alguma relação entre o que a mãe ingere e as cólicas do bebé. No entanto, muitas mães garantem que notam diferenças no comportamento dos filhos quando comem determinados alimentos. Por isso, se o bebé sofre muito com as cólicas, pelo sim pelo não é preferível evitar alimentos que habitualmente são considerados prejudiciais, nomeadamente produtos lácteos, cogumelos, tomate, chá, café, açúcar ou o chocolate, entre outros.
7. Cada vez que se dá de mamar é preciso colocar o bebé a arrotar?
É muito importante fazê-lo, pois assim vai evitar que o bebé regurgite ou se engasgue com o leite. Mas pode acontecer que o bebé não arrote. Convém é sempre manter o ritual para lhe dar a oportunidade para o fazer: posicionar o pequeno junto ao ombro, na vertical, e massajar ou fazer pressões suaves nas costas. Se ele não arrotar entre 20 a 30 minutos, não há motivo para alarme. Por precaução, podem apenas colocá-lo no berço com a cabeceira ligeiramente levantada.
8. Quando é que posso levar o bebé recém-nascido para a rua?
Aqui, a regra é o bom senso, pois não existe regra! Normalmente, após um mês já é normal levar a passeá-lo, devendo evitar-se até ao terceiro mês aglomerações, ambientes fechados, o sol forte ou demasiado frio.
9. Quando é o bebé pode ver televisão?
Não existe nenhuma regra, mas não há necessidade nenhuma de expô-lo aos estímulos de um televisor. Existem outras formas mais interativas para o entreter: com brinquedos próprios para a idade, com música, etc. Mais do que o estímulo audiovisual, no primeiro ano de vida o bebé tem de se mexer, experimentar novas texturas, sentir cheiros, aprender a ver o mundo numa perspetiva tridimensional, etc.
10. A aranha é ou não aconselhável?
Não, não é. Apesar de muitos adultos terem andado nas aranhas quando eram pequenos, hoje em dia não se aconselha a sua utilização. Primeiro, porque há o risco de acidente. Depois, porque a aranha não estimula adequadamente a musculatura responsável pela marcha. Pelo contrário, cria vícios que podem ser prejudiciais ao seu desenvolvimento.
Claro que existem muitas outras dúvidas e cuidados que os pais devem considerar durante o primeiro ano de vida do bebé. De qualquer forma, espero que estas dicas tenham ajudado de alguma forma a tranquilizar os pais mais inquietos e ansiosos!

Um OBRIGADA à equipa Zaask.

                                                                                                                                    Beijinhos


4 comentários:

  1. Oh que texto interessante :) Parabéns pela parceria!
    Beijinho
    http://themarielement.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Boas dicas.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Mto bom post
    Mark Margo
    www.markmargo.net (entretenimento e cinema)

    ResponderEliminar
  4. So interesting, love the babe!

    www.ndudlagirl.blogspot.com
    www.instagram.com/ndudlagirl

    ResponderEliminar